08:14 | Author: Mundo Zazen


"Qualquer meditação que leve você a aprofundar a concentração está errada, ela não resultará em compaixão. Você se tornará mais fechado, ao invés de se tornar aberto. Se você reduzir sua consciência e concentrar-se em alguma coisa, e se você excluir a Existência como um todo e tornar-se direcionado a um ponto, isso criará mais tensão em você. Daí a palavra atenção que quer dizer ‘a-tensão’. O próprio som da palavra concentração lhe dá uma sensação de retesamento. (...)

Um Buda não é um homem de concentração; ele é um homem de consciência. Ele não ficou tentando reduzir sua consciência; ao contrário ele ficou tentando abandonar todas as barreiras de modo que ele se tornasse totalmente disponível à Existência. Observe, a Existência é simultânea. Eu estou falando aqui e o tráfego de barulhos é simultâneo. O trem, os pássaros, o sopro do vento nas árvores... Neste momento, a Existência como um todo é convergente. Você está me ouvindo, eu estou falando para você e milhões de coisas estão acontecendo. Isto é tremendamente rico. (...)

Assim, deixe-me dizer-lhe algumas coisas básicas. Primeiro, meditação não é concentração, e sim relaxamento. A pessoa simplesmente relaxa em si mesma. Quanto mais você relaxar, mais você se sentirá aberto, vulnerável e menos rígido. Você estará mais flexível e, de repente, a Existência começará a penetrar em você. Você não será mais como uma rocha; você terá aberturas. Relaxamento significa permitir-se entrar num estado em que você não está fazendo coisa alguma, porque se você fizer alguma coisa a tensão estará presente. O relaxamento é um estado de não-fazer. Você simplesmente relaxa e curte a sensação do relaxamento.

Relaxe. Simplesmente feche os seus olhos e escute tudo o que está acontecendo ao seu redor. Ao perceber algo, não considere aquilo como sendo uma distração. No momento em que você perceber aquilo como sendo uma distração, você estará negando Deus. Neste momento Deus chegou a você como um pássaro. Não negue. Ele bateu à sua porta como um pássaro. No momento seguinte ele chega como um cão latindo, ou uma criança chorando, ou como um homem louco rindo. Não negue; não rejeite. Aceite, porque se você negar, você se tornará tenso.

Toda negação cria tensão. Aceite. Se você quer relaxar, a aceitação é o caminho. Aceite tudo o que estiver acontecendo ao seu redor; permita que isto se torne um todo orgânico. E é. Você pode saber disto ou não. Tudo está inter-relacionado. Estes pássaros, estas árvores, este céu, este Sol, esta Terra, você, eu – tudo está relacionado. Tudo é uma unidade orgânica. Se o Sol desaparecer, as árvores desaparecerão; se as árvores desaparecerem, os pássaros desaparecerão; se os pássaros e as árvores desaparecerem, você não poderá estar aqui, você desaparecerá. Isto é uma ecologia. Tudo está profundamente relacionado com tudo mais. (...)

Se você relaxa, você aceita; a aceitação da Existência é a única maneira de relaxar. Se uma pequena coisa perturba você, é a sua atitude que o está perturbando. Sente-se silenciosamente, escute tudo o que está acontecendo ao seu redor e relaxe. Aceite, relaxe e, de repente, você perceberá uma imensa energia subindo dentro de você. Esta energia será percebida inicialmente como um aprofundamento de sua respiração. Normalmente a sua respiração é muito superficial e, algumas vezes, se você tenta respirar mais profundamente, se você começa a fazer pranayam, você começa a forçar alguma coisa, você faz um esforço. Tal esforço não é necessário. Simplesmente aceite a vida, relaxe e de repente você verá que a sua respiração está indo mais fundo do que o usual. Relaxe mais e a respiração irá mais fundo em você. Ela se torna lenta, ritmada e você pode quase saboreá-la; ela traz um certo prazer. Você tomará consciência, então, de que a respiração é a ponte entre você e o Todo. Simplesmente observe. Não faça coisa alguma.

E quando eu digo observe, não tente observar; senão você vai ficar tenso de novo e vai começar concentrando na respiração. Simplesmente relaxe; permaneça relaxado e solto. E olhe, pois o que mais você pode fazer? Você está ali, nada há para ser feito, tudo foi aceito, nada há para ser negado ou rejeitado, nenhuma luta, nenhuma briga, nenhum conflito e a respiração continua aprofundando...O que você pode fazer? Você simplesmente observa. Lembre-se: simplesmente observa."

OSHO – Ancient Music in the Pines - Cap. 3


Category: , |
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.
Bookmark and Share

0 comentários:

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

Página Anterior Próxima Página Home
subir